sábado, 17 de dezembro de 2011

Quando "snob" é um elogio...

Eu e dois colegas de trabalho andávamos por Londres, tentando voltar ao albergue onde estávamos hospedados e que era um dos St. Christopher's Inn perto da London Bridge. Já tínhamos dado uma volta grande e estávamos numa zona menos urbanizada de onde partiam várias ruas. Qual delas a certa?

Havia pouca gente por perto e, quando um sujeito passou junto de nós fisgámo-lo logo. Não tinha bem a certeza de onde ficava a "nossa" rua. Talvez fosse "para ali". De qualquer forma, será que nós não queríamos comprar-lhe um blusão de ganga? E logo ali nos mostrou, com um ar algo ansioso, uma peça de roupa para que nós a apreciássemos. Não, não queríamos, obrigado, e despedimo-nos cordialmente.

Para seguir a indicação do londrino tínhamos de atravessar uma espécie de rotunda e resolvemos usar uma passagem subterrânea. Uma vez nela, parámos para conferenciar sobre o caminho. Uma rapariga aproximou-se de nós tentando vender-nos uma revista (uma "Cais" local?). Disse-lhe que não. Após alguns segundos, ela insistiu - com um forte sotaque "popularucho" -, e eu, novamente, disse-lhe que não queríamos a revista. A moça não desarmou e voltou à carga, momento em que eu, puxando do meu mais britânico sotaque lhe disse "For God's sake, no!" (uma espécie de "porra, desanda daqui", muito bem educado). O sotaque saiu tão apurado e tão "upper class" que a indivídua se afastou remungando que eu era um snob enquanto ia imitando o meu tom "bem".

Convenhamos, desta vez "snob" foi um elogio, para mim. :)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Textos relacionados